Dia a dia

A casa alemã – Herzlich Willkommen!

Oi, gents! Completei minha segunda semaninha na Deutschland e estou me sentindo bem mais ambientada com o novo país, a nova cidade e, claro, a nova casinha. A cada dia, há sempre chances de vivenciar novidades e crescer bastante com essa experiência tão intensa. 

Mas as coisas novas não ficam apenas lá fora, onde o clima, os costumes, a língua e a cultura são outros. Aqui, dentro de casa, há muita oportunidade para aprender que as coisas podem ser diferentes. Então, enquanto eu compartilho um pouquinho do que tenho visto no meu próprio lar, você é bem-vindo para entrar e se sentir em casa. Herzlich Willkommen! 🙂

Mas, antes, tire os sapatos! – É que, em várias casas germânicas (inclusive na minha), predomina esse costume de tirar os sapatos antes de entrar. Na verdade, o Ti e eu já tínhamos esse hábito no Brasil, pois não queríamos trazer a sujeira das ruas de Sampa pra dentro da nossa casinha. Só que, aqui, os alemães têm um cômodo (que eu ainda não sei direito como se chama) exclusivo para essa finalidade. É uma espécie de hall fechado, onde você deixa seus sapatos e casacos – geralmente, há sapateiras e cabides para essa finalidade (veja, na foto, os da minha casa). O bacana é que esse cômodo também serve para separar a porta de entrada e o restante da casa, dificultando a entrada do ar frio.

  
Entrada que dá para o quarto – Isso é algo bem esquisito pra mim, mas já percebi que pode ser comum para os alemães. Diferentemente das casas brasileiras, em que a entrada, geralmente, é em uma sala – de TV ou de estar, por exemplo -, nas casas alemãs, depois de passar pelo hall, você quase sempre dá de cara com o quarto das pessoas! Aqui na minha casinha, por exemplo, a sala é o último cômodo que você vai encontrar. Primeiro entra, logo vê os quartos e o banheiro, passa pela cozinha e só depois acha o sofá e a TV! Então, ou eu arrumo a cama todos os dias, ou fecho as portas para as visitas não verem a bagunça! 😀

Telhados bem inclinados – O formato do telhado das casas alemãs foi uma das primeiras coisas que me chamaram atenção no dia em que cheguei. São bem mais íngremes do que o das casas brasileiras e a explicação, claro, está na diferença de clima entre esses países. Como aqui neva (muito!) e os floquinhos de neve pesam bastante quando estão juntinhos e acumulados, os telhados são projetados para que a precipitação deslize com facilidade. O resultado são cidades com uma paisagem bem diferente daquilo que estamos acostumados no Brasil. É encantador de se ver!

  
Aquecedores que realmente funcionam! – Um dos meus maiores medos antes de me mudar para a Alemanha era passar frio dentro de casa. Mas foi só chegar aqui e comprovar que o inverno rigoroso fica apenas do lado de fora. Dentro de casa e dos lugares (mercados, restaurantes, locais públicos etc) é sempre quentinho e aconchegante. Já cheguei até a ficar de shorts e camiseta aqui, especialmente quando preparo algo na cozinha ou resolvo fazer uma limpeza. Os aquecedores, na maioria das casas e lugares, ficam programados para manter a temperatura em 20 ou 21 graus. Isso pode parecer frio para alguns brasileiros (para mim parecia), mas – juro! – eu passava mais frio quando morava em São Paulo e o vento gelado da rua entrava por todas as frestinhas das janelas e portas. Aqui, até agora, não passei frio nem dentro e nem fora de casa (uso casacões enormes para sair! Hehe!).

Aquecedor desligado no quarto à noite – O nosso aquecedor, além de manter o ambiente bem agradável, deixa o ar da casa um pouco seco. Então, umidade e mofo não são problemas por aqui. Porém, à noite, é quase impossível respirar com o aquecedor ligado no quarto. O ar fica tão seco que, na noite em que nos esquecemos de desligar, acordei me sentindo o Bob Esponja no episódio em que ele visita sua amiguinha Sandy e não usa o capacete de água (já viram?! Rs!):

bobesponja

Silêncio de chiar o ouvido – Acho que nós, brasileiros (especialmente paulistas e paulistanos), só vamos saber o que é silêncio de verdade em países como a Alemanha. Gente, o silêncio dentro de casa (e na rua) é tão pleno, que o ouvido faz “piiiiiiiiiiii”, como se estivesse a procura de algo para ouvir. Rs! Esse povo aqui realmente preza muito o silêncio e as boas maneiras de não incomodar os demais. E, junto dessa ausência sonora, estão as excelentes vedações das portas e janelas, que não deixam passar nenhum ventinho de fora e nem o sonzinho (inexistente) da rua. 

Lixeiras e mais lixeiras – A Alemanha dá de 10 x 0 no Brasil (ou de 7 x 1?) quando o assunto é meio ambiente e sustentabilidade. Separar o lixo é algo muito comum por aqui. Aliás, quem separa errado (ou não separa) pode levar multa. Por isso, nas casas alemãs, você sempre vai encontrar uma lixeira específica para cada tipo de material. Estas abaixo são as da minha casa e funcionam assim:

  
Da esquerda para direita, a primeira serve apenas para papel limpo. A segunda, para vidros. Na terceira, jogamos lixo orgânico ou aqueles resíduos que não se enquadram nas demais lixeiras. Por fim, na quarta, ficam os plásticos limpos e embalagens recicláveis limpas.

Note que a maioria do lixo deve ser jogado limpo nas lixeiras. Outra coisa interessante é que, para a última lixeira, a prefeitura da cidade fornece um saco amarelo específico para essa finalidade.

E as garrafas pet podem ser devolvidas em máquinas no supermercado que voltam o valor pago pelas embalagens na compra do produto. Mas vou detalhar essa parte em outro post, pois há muuuuuita coisa legal para falar sobre os supermercados alemães. 

Por hora, vou me despedindo e deixando você com a vista de uma das janelas da minha nova sala. Volte sempre! 😉

   

 

Anúncios

16 comentários em “A casa alemã – Herzlich Willkommen!

  1. Adorei o Post, muito bem detalhado. Este cômodo aqui na minha região eles chamam de Garderobe (que é um lugar de pendurar as roupas), não sei se é assim em todas as regiões. Nas casas grandes os Garderobes geralmente dão para um corredor, onde é feita a distribuição dos cômodos. A distribuição do lixo é espetacular, um dia vá em um campo de reciclagem, lá tem lixo para tudo. E Herzlich Willkommen, é uma das palavras mais bonitas em alemão, seja bem vindo “afetuosamente” “de coração”.
    Bjo
    Dani

    Curtir

    1. Nossa, Dani, amei seu comentário aqui. Obrigada! Aprendi mais agora! Hehehe! Sobre a palavra Herzlich, compartilho com vc essa admiração. Aprendi esse significado quando ainda estava no Brasil e fiquei encantada com a mensagem que essa palavra carrega. Aliás, muitas palavras alemãs são cheias de emoção, né? Tenho gostado de aprender! Beijo!

      Curtir

  2. Obrigada por compartilhar um pouquinho de sua vida e aprendizado nesse país tão especial que agora acolhe meus filhos amados. Saudades! Coma mor da Momis!!! 🙂

    Curtir

  3. Oi priminha. Que legal. Adorei sua história. Sabe que morei 4 anos na Itália e viajei para alguns países da Europa isso na década de 80. Foi incrível e sei bem o conceito de cidadania que já naquela época existia. Td bem organizado arrumado muito respeito imagino atualmente como devem ter progredido.
    Vc tem razão que aqui passamos mais frio que aí e ficamos lindas com casacos botas gorros etc… Estou com sds…
    Um abraço bem caloroso ao lindo casal pois aqui o verão está fervendo. 👄👄👄👄

    Curtir

  4. Oie! Gosto muito da maneira como você retrata nossas experiências aqui! Além de poder compartilhar com as pessoas também acabamos refletindo sobre essa nova experiência!
    Que bom que está gostando!

    Curtir

  5. Oi Lissa e Tiago ! Que maravilha !!! Adorei saber detalhes das coisas boas desse país. Obrigada por nos fazer sentirmos pertinho de vocês. Saudade. Deus abençoe. Bjs

    Curtir

  6. Oi querida. Bem como te falei adorei seu insta e seu blog. Eu quando estive na Alemanha dormi em casa de amigas minhas que são alemãs então tem todos esses costumes. Uma das coisas q mais fiquei impressionada, foi quando me levantei a meio da noite para ir no banheiro não senti diferença térmica entre estar dentro do cobertor e fora dele, a casa estava quente. Eu amo a Alemanha de coração. Tenho amigas ai e quem sabe um dia não vou para ai viver. Sobre o silencio eu sofro muito com isso aqui no Brasil, eu estava acostumada as pessoas respeitarem os horários de silencio e respeitarem os vizinhos mas infelizmente isso nem sempre acontece.

    Continue postando. Beijinhos grandes de uma portuguesa

    Curtir

  7. Querida Lissa,
    Desde que descobri seu IG há cerca de duas semanas, não consigo parar de ler o blog e acompanhar seus posts diários.
    Adoro a Alemanha, estive em Munich e Belin fazem dois anos, quando fui visitar meu namorado no fim do intercâmbio dele. Desde então nós dois sonhamos juntos em voltar e dessa vez para morar aí. É um país lindo e encantador, digno de muita apreciação. Quando estive aí, em tão pouco tempo pude notar o quão bem as coisas funcionam. Transporte, segurança, limpeza, etc.
    Parabéns por vocês terem conseguido a oportunidade de viver essa incrível experiência. Desejo que sejam muito felizes, nas terras germânicas, e que cresçam muito juntos!
    Não deixe se postar as novidades para a gente. Adoro saber mais e mais como as coisas funcionam em países de primeira (rsrs).
    Um grande beijo no coração! Fiquem com Deus!

    Curtir

    1. Oi, Janaína! Que comentário mais legal o seu! Amei! Obrigada mesmo pela força e pelo carinho. Pode deixar que eu sigo postando. E espero que você e seu namorado também tenham a chance de voltar pra cá e viver outras experiências tão fantásticas. Um beijo enorme!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s