Idioma alemão

Cheguei ao nível B2 de alemão – passei na prova de proficiência!

Meu certificado lindo de proficiência em língua alemã!

Há alguns meses, eu prestei a prova de proficiência em alemão (Telc -nível B2) e… Passei! ✨😁 Hoje, vou contar um pouco sobre como foi essa experiência, para compartilhar com outros estudantes de alemão que também estejam desejem passar na prova para obter o nível de proficiência na língua.

O que é nível B2 de alemão?

Antes, vou explicar rapidamente o que é esse tal de nível B2. Ele faz parte do Quadro Europeu Comum de Referências para as línguas, que é um padrão desenvolvido para determinar o nível de compreensão e expressão oral e escrita de um falante em uma determinada língua. Esse quadro estabelece uma escala de seis níveis comuns de referência: A1, A2, B1, B2 (onde estou), C1 e C2.

Assim, o nível A1 compreende o falante na fase dos primeiros contatos com uma língua estrangeira. Já o nível C2 compreende o falante que possui o domínio pleno de um determinado idioma, como é o português para nós, brasileiros, por exemplo.

E, de acordo com esse quadro, as competências verificadas pela prova de proficiência em nível B2, que foi a que eu realizei, são as seguintes:

Entender os pontos principais de textos mais complexos com temas concretos e abstratos; entender discussões técnicas na sua área de especialização. Conseguir comunicar-se de forma tão espontânea e fluente, que é possível realizar uma conversa normal com falantes nativos sem muito esforço de ambas as partes. Conseguir expressar-se em uma gama variada de temas de forma clara e detalhada, expressar um ponto de vista relativo a uma questão atual e indicar as vantagens e desvantagens de várias possibilidades. – Fonte: Goethe Institut. Clique aqui para ver as competências exigidas nos demais níveis.

Como eu me preparei para a prova de alemão

Eu estudo alemão há 3 anos, desde quando viemos morar na Alemanha. Antes disso, nunca havia tido contato com essa língua. Faço cursos intensivos nesse idioma desde então e, um mês antes da minha prova, fiz também um curso preparatório específico para quem deseja fazer a prova de proficiência do nível B2 de alemão.

Nesse curso, o foco era apenas a prova de proficiência em nível B2 de alemão. Ou seja, não havia lições gramaticais ou sobre a estrutura do idioma.

Na minha opinião, valeu muito a pena ter feito esse curso, pois, no dia da prova, eu já estava totalmente familiarizada com o tipo de questões abordadas em cada tópico e já sabia também o tempo que eu deveria investir em cada questão, fazendo tudo com calma, mas do jeito mais eficiente possível.

Afinal, acho que o pior inimigo de quem presta esse tipo de prova de proficiência em algum idioma é o tempo, que passa em um piscar de olhos e pode impedir o falante de mostrar todas as suas aptidões.

Para que isso não ocorra, é necessário treino. Nesse sentido, uma dica que posso compartilhar aqui também é o material usado durante esse curso preparatório – veja a foto abaixo. Nesse livro, além de explicações sobre a dinâmica da prova, encontramos vários exercícios semelhantes aos exigidos pelo exame. Assim, dá para treinar bastante.

Livro “Mit Erfolg zu Telc Deutsch B2” – Testbuch, editora Klett. Paguei 18,99 euros em uma livraria aqui de Nürnberg

Como é a prova de proficiência em alemão – Telc B2

A prova que eu escolhi prestar se chama Telc. Existem outras provas de nível de proficiência em alemão, como o Goethe, por exemplo. Escolhi a prova Telc apenas pelo fato de esse ser o único exame aplicado aqui na minha cidade, Nürnberg. Se eu tivesse escolhido a prova Goethe, teria que viajar para Munique ou para alguma outra cidade alemã onde a prova é aplicada.

A prova Telc B2 é dividida em 5 grandes etapas:

  1. Leitura e compreensão de textos (Leseverstehen) – vale 75 pontos;
  2. Gramática (Sprachbausteine) – vale 30 pontos;
  3. Compreensão auditiva (Hörverstehen) – vale 75 pontos;
  4. Redação (Schriftlicher Ausdruck) – vale 45 pontos;
  5. Prova oral (Mündliche Prüfung) – vale 75 pontos.

E cada uma dessas etapas segue a seguinte ordem:

  • 90 minutos para os exercícios das etapas 1 e 2 (Leseverstehen und Sprachbausteine);
  • Pequena pausa (que não dá tempo nem de sair da sala);
  • Aproximadamente 20 minutos para os exercícios de compreensão auditiva (Hörverstehen) – nessa etapa, o tempo da prova é determinado pelo tempo dos áudios utilizados no exame;
  • 30 minutos para a etapa de redação (Schriftlicher Ausdruck);
  • Pausa para o almoço;
  • Aproximadamente 15 minutos para as três partes da prova oral (Mündliche Prüfung).

Ao todo, a prova Telc B2 vale 300 pontos. Mas, se o candidato atingir 180 pontos, ele é considerado aprovado, desde que o número mínimo de pontos seja 135 nas etapas de leitura, gramática, compreensão auditiva e redação, e de 45 pontos na etapa de prova oral.

A minha nota foi 238 pontos, sendo 169 nas primeiras 4 etapas, e 69 na parte de prova oral.

Minhas impressões sobre a prova

Leitura, gramática e compreensão auditiva

Antes de fazer o curso preparatório, eu estava com bastante medo da prova. Porém, fazer o curso foi excelente para eu me sentir bem à vontade com os objetivos de cada exercício. Então, no dia da prova de verdade, eu estava tranquila: quando peguei o caderno de exercícios, já sabia exatamente o que teria que fazer, como fazer e, especialmente, durante quanto tempo.

Por isso, não achei que foi tão difícil conseguir o nível B2 de proficiência em alemão. É claro que, no meio de cada etapa, há sempre exercícios mais fáceis e outros mais complicados, cheios de pegadinhas. Mas a gente só precisa ter atenção e tentar fazer a prova da maneira mais “light” possível, como se fosse um desafio, um jogo de conhecimentos de idioma.

Como já disse acima, a parte mais complicada mesmo da prova é a administração do tempo. São muitas questões, envolvendo muitos textos longos e cheios de particularidades gramaticais. Assim, acho que se dá bem quem já treinou bastante para deixar os olhos rápidos durante esse processo de leitura.

Tem que ler tudo, sim, mas não pode gastar o tempo lendo palavra por palavra, meticulosamente. Nesse sentido, é uma leitura que escaneia os principais pontos do texto e já identifica questões sintáticas e semânticas nas frases.

Nos exercícios em que o foco é a gramática, acho que o ritmo da prova fica ainda mais dinâmico. À medida em que eu ia lendo cada texto, as respostas por vezes já vinham claras na minha cabeça. Outras vezes, ficava em dúvida, mas não foi nada tão complicado, não.

Já a etapa de compreensão auditiva foi mais tranquila, na minha opinião. O único problema é que, na prova para o nível B2 de alemão, o aluno só tem a chance de ouvir cada áudio apenas uma vez. Então, é assim: ouviu, respondeu. E, se ficou na dúvida, marca qualquer coisa e parte pro próximo áudio…

Redação X Prova oral

Antes da prova, eu achava que faria a redação com bastante facilidade. É que sempre tive mais facilidade com a produção de textos e também sempre tive medinho de falar alemão público.

Porém, aconteceu completamente o oposto na hora da prova. Fui melhor na prova oral do que na escrita da redação. E o pior inimigo foi quem? O tempo, ele mesmo…

Outro inimigo foi o cansaço (e a fome! kkk), pois eu já estava exausta na hora de começar a etapa da redação (é a última na parte da manhã).

Eu escolhi fazer a carta de reclamação e, no meu caso, a prova me pedia para reclamar para uma loja de bicicleta sobre um produto que eu havia comprado. Inventei, então, que havia comprado uma bicicleta elétrica para a minha avó, mas que o motor veio com defeito. Além disso, eu também estava insatisfeita, pois havia entrado em contato com o serviço de atendimento ao consumidor da loja, mas nenhuma solução havia sido encontrada. Demonstrei minha insatisfação e disse que estava esperando uma providência da loja.

Na redação, há alguns pré-requisitos que todos devem seguir: a linguagem deve ser semi-formal, o vocabulário e as construções frasais têm que estar de acordo com as exigidas em nível B2, há um número mínimo de palavras e a estrutura do texto deve seguir o padrão da modalidade escolhida – a prova entregará sempre duas modalidades de textos, sendo que uma sempre será carta de reclamação por algum serviço contratado ou produto comprado.

Porém, inventar e escrever tudo isso em meia hora foi bem mais difícil do que eu estava esperando. Eu tinha treinado bastante em casa, sempre com um relógio do lado, controlando o tempo. Mas, na hora da prova de verdade, parece que o tempo passa mais rápido… Hahaha! Ainda bem que deu certo… Ufa!

Já a parte de prova oral foi bem mais tranquila do que eu estava esperando – na verdade, foi a parte mais tranquila da prova toda, na minha opinião.

Essa etapa é feita em duplas. A gente começa indo para uma sala, onde recebemos um texto sobre um assunto específico. Devemos ler e tomar notas – mas não podemos levar esse texto conosco para a outra sala, onde o exame oral será aplicado.

Em seguida, vamos para a sala da prova e nos sentamos em frente a dois examinadores. Eles se apresentam e, depois, é a nossa vez de nos apresentar, dizer quem somos e o motivo de estarmos fazendo a prova. Essa parte não vale pontos.

Depois, cada um de nós deve fazer uma breve apresentação (2 ou 3 minutos, cronometrados pelos avaliadores) sobre algum tema. Pode ser sobre um livro, um filme, uma viagem etc.

Eu escolhi falar sobre o livro “Losing my Voice and Finding Another”, do autor Cooper Thompson – tem um post sobre esse ótimo livro aqui no blog. Escolhi falar sobre esse tema, pois o livro é exatamente sobre as experiências do autor durante seu aprendizado de alemão. Além disso, tive a oportunidade de entrevistar o Cooper Thompson e de gravar um vídeo com ele sobre esse livro – em alemão! Ou seja, o tema já estava na ponta da língua… 🙂

Feitas as apresentações, devemos fazer e responder algumas perguntas ao colega sobre o tema abordado.

A segunda parte dessa prova é a discussão daquele tema sobre o qual a gente leu e se preparou minutos antes. Em dupla, devemos conversar, dizer o que concordamos e discordamos nos textos e contar alguma experiência pessoal que tenha a ver com o assunto (podemos inventar algo na hora, pois o que é avaliado é apenas o nosso nível de alemão, e não o que está sendo dito). O tema da minha prova foi o tipo de avaliação feito nas escolas infantis hoje em dia.

Por fim, a terceira parte é a resolução em conjunto de um problema. Nossos avaliadores nos passam alguma situação – é sempre um passeio ou excursão a ser organizado – e nós devemos interagir em dupla para chegar a um consenso (ou não) do que será feito.

Tanto eu quanto meu colega de prova (um rapaz de uns 16 anos do Iraque) estávamos bem tranquilos. Ele falava um alemão excelente e isso também contribuiu bastante para a nossa conversa ser bem dinâmica.

Bom, gente, depois desse looongo texto, vou me despedindo. Se você ficou com alguma dúvida, estou à disposição para ajudar com as informações que eu souber. Só deixar um comentário aí pra mim.

Beijo!

Anúncios

4 comentários em “Cheguei ao nível B2 de alemão – passei na prova de proficiência!

  1. Olá! Muito boas as informações que passou . Farei a prova em algumas semanas e dicas são sempre bem vindas!
    Mas gostaria de saber quais cursos (nome, valores…) você fez aqui na Alemanha.
    Obrigada! 😊

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s